terça-feira, março 01, 2011

Cabelo bom ou cabelo ruim - eis a questão


Se tem uma coisa que me irrita é essa forma de se expressar das pessoas que acaba incutindo no inconsciente coletivo o preconceito, o racismo ou a discriminação. E essa história de cabelo bom e ruim é uma delas. O que é cabelo bom e o que é cabelo ruim para você? Para a maioria esmagadora da população, cabelo bom é cabelo liso e cabelo ruim é cabelo cacheado ou crespo. E por mais que você tente, as pessoas usam essas denominações sem nem mesmo se tocar que estão passando adiante um preconceito velado.

O conceito de bom e ruim para mim é outra coisa. Cabelo bom, para mim, é cabelo bem cuidado, brilhoso, macio, hidratado... seja ele liso, cacheado, crespo, ou como você quiser chamar. Já vi cabelo liso ruim aos montes! Quebrado, opaco, sem vida, sem corte, cheio de pontas, seco.. Assim como já vi cabelos cacheados e crespos lindos, bem hidratados, bem cortados, macios... e vice-versa.


Leandra Leal - linda, loura e devidamente cacheada. Alguém duvida que o cabelo dela seja BOM? Eu não.

Agora, e esse liso aqui que ela usou em Senhora do Destino? Estava RUIM, vamos combinar...

Eu posso estar bancando a chata, mas a verdade é que tenho propriedade para falar! Dá licença, mas sou uma cacheada/ondulada/crespa natural que passou quase a vida inteira recorrendo às mais variadas químicas para alcançar o sonho-liso que todas as meninas pediram a Deus.

Devo ter começado essa "via-crúcis"  aos 13 anos. Minha mãe, cansada dos meus recorrentes pitis-aborrescentes, me levou em um salão para fazer aquele relaxamento brega horroroso que prometia tirar o volume Gal Costa tão fora de moda nos anos 90. Lembro-me da minha reação ao, ingenuamente, perguntar ao cabeleireiro se meu cabelo ficaria liso. E o patife profissional me prometeu que sim. - #fail.

Nem precisa dizer que obviamente eu nunca consegui alcançar tal resultado e o mais perto que cheguei disso foi quando inventaram a famigerada escova definitiva, que também atende pelo nome de progressiva, marroquina, de chocolate, japonesa, de cristal... enfim, cada hora inventam um nome para vender o que nada mais é do que um procedimento super forte com 0,2% de formol e faz as madeixas memorizarem através da chapinha o formato liso. Entre elas, só muda um ou outro detalhe aqui e acolá, mas na essência é tudo a mesma merda  coisa. Olha só que promessa atraente e DE-FI-NI-TI-VA.

Era início dos anos 2000, me recordo prefeitamente do burburinho que a Fátima Bernardes causou quando se submeteu a uma escova japonesa definitiva. Pensei: "gente, meu sonho de infância se realizou." Claro que não poupei esforços para finalmente ter minhas almejadas madeixas lisas - definitivamente. E não preciso dizer que de definitivo, no final, só minha tatuagem né? Porque quando a raiz cresce, neguinha............................... segura a onda! (literalmente!)

Fátima Bernardes e a polêmica da escova definitiva que fez ela ficar 3 dias sem lavar o cabelo a olhos vistos (e criticados) do público. Quem lembra

No começo, só flores. O cabelo responde bem à química porque ainda não está viciado. Passei simplesmente uns 7 anos me submetendo a isso e o que tinha de química foi descendo para as pontas e, lógico, me tornei escrava da chapinha. Sim, porque não importa o que vão te dizer no salão, seu cabelo não vai ficar pronto quando você sair do chuveiro e secar liso e arrumado. Tem sempre que dar aquela modeladinha nas pontas para não ficar com aquele aspecto esticado de vassoura. (pronto, falei.)

Depois de tanto tempo naquela monotonia eternamente lisa, comecei a tentar mudar o que dava para ser mudado: a cor, o corte, o jeito de pentear... mas por causa dos tais 0,2% de formol (sim, TODOS têm), nada assentava direito naquela coisa tão... digamos... definitiva.

Fui cortando para me livrar do cabelo morto das pontas e quando engravidei foi o ultimato. Ou eu me assumia, ou ia morrer fazendo escova e chapinha para deixá-lo, no mínimo, apresentável, já que a gravidez não permitia mais eu me expor às químicas (tem gente que faz, mas a química não era tão importante na minha vida assim para eu arriscar.).

Resolvi então, depois que minha filha nasceu, assumir meu cachos e me (re)conhecer. Afinal, nem sabia mais como ele era, de tantos anos alisando!

Com dois meses de parida, eu estava realmente necessitando de algo para reviver meu cabelo... e me rendi às tesouras dessa artista natalense aqui (Nalva Melo, a dona do famoso Café Salão), contando todo o meu drama de novela mexicana com os cabelos: com a Valentina nascida e demandando 100% do meu tempo, agora, não dava mais para dedicar tempo a chapinhas e afins. Precisava de uma coisa prática como lavar e sair PRON-TA do chuveiro - dessa vez, de verdade. Nalva foi direta e certeira: vamos ter que cortar todo para tirar todo esse alisamento e voltar pros cachos. Só assim você vai sair pronta do chuveiro como quer. Alguns minutos de insegurança depois, lá estava eu, repicada e cacheada como só havia me visto quando criança!

Foi um alívio, uma libertação. Não sabia o que era sair do chuveiro livre. Poder lavar o cabelo quantas vezes quisesse no calor do verão, sair com ele molhado, ir à praia, mergulhar e deixar secar naturalmente... Como assim, cabelo ruim??? Excuse me, mas meu cabelo está BOM é agora!

Não sou contra cabelos lisos, pelo contrário, acho lindo, não vou cuspir no prato que comi (e como comi!)! Eu curti muito enquanto estive lisa. Mas prefiro uma coisa menos definitiva e mais prática nesse momento da minha vida... quando tiver saudades (e tempo), a chapinha estará ali guardadinha no lugar dela me esperando. Por enquanto, quero meus cachos aqui, tornando a minha vida mais simples, escancarando minha identidade todos os dias no espelho, fazendo minha filha se reconhecer em mim mesma quando seus cachinhos crescerem também (será que vai ser cacheado?) e ver como podemos nos descobrir belas como realmente somos.

Viva o retorno à moda dos volumosos! Salve a Helena negra de Manoel Carlos! Finalmente, a moda nos livrou desse padrão europeu inalcançável e frustrante para as brasileiras. Somos lindas, volumosas e exuberantes - cacheadas ou lisas! Somos BOAS! Ruim é quem não concorda com isso.



18 comentários:

  1. Como cacheada de nascença reconheço o drama do "cabelobom X cabeloruim". apesar de nunca ter me rendido a alisamentos pseudo-definitivos sempre me achava mais bonita de cabelo liso... Depois de ver Rachel Brice cacheada e lynda e tantas outras mulheres magníficas e cacheadas me senti muito mais eu!! Hj em dia tem tanta opção pra nós! Beleza Natural tá aí pra nós!! rsss!!!!

    bjus!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, é bom a gente ver as Dyvas de cabelos cacheados para ver como é possível sermos lindas sendo nós mesmas. É que adolescente é um bicho bobo que quer ser igual a todo mundo né? Depois que a gente amadurece a gene vê como é bom ser diferente! #ficaadica

    ResponderExcluir
  3. Sim, meu cabelo é cacheado e tem dias que ele não me obedece e não fica bonito mesmo, mas só depois de passar pela experiência da escova definitiva e do cabelo "pronto" pra sair e que realmente nao deu certo, passei a valorizar meus cachos e aceita-los como parte da minha personalidade.Ah, e uma coisa boa....todo mundo me fala que eu fico melhor com cabelo cacheado.Mais barato, mais prático...quero mais o que?
    Poliana Mota

    ResponderExcluir
  4. Tem dia que todo cabelo fica feio. Pode ser liso, cacheado, até a mais linda das mulheres tem seus dias ruins... Sofremos pra entender isso né? rs

    ResponderExcluir
  5. O meu tá loirooo!Descobri, assim como tantas outras mulheres provavelmente já o fizeram antes de mim, que cabelo branco, quando começa a crescer (nem sempre podemos ir ao salão) é mais fácil disfarçar quando é claro. Além disso, parece mais natural. Aliás, as mulheres da minha família agora são todas loiras. E Só Rossana tem o privilégio de o fazer por opção, hahaha.

    ResponderExcluir
  6. Até eu quero ficar loira! kkkkkkk Na verdade, quando eu puder, vou tentar dar aquela iluminada nas madeixas... hehehehe Agora, sem a definitiva, eu posso ousar! rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Realmente...
    Porque as mulheres brasileiras no geral querem ter o cabelo liso?
    Que ditadura absurda!
    Eu também entrei na onda, olha que meu cabelo já era liso, com pequenas ondulações até charmosinhas, mas não me conformei e o que fiz? Taquei química e mais química, progressiva, escova inteligente, marroquina, e ainda pintando de vermelho. Resultado: ressecamento, queda e etc.
    Parei com esse laboratório capilar, só não consegui me livrar do Vermelho, porque amo ser ruiva! Hahaha
    Temos mesmo que assumir nossas raízes, seja elas quais forem afinal, somos belas porque somos muitas, diferentes e não como algumas que tem por ai, loiras, olho azuis e seios fartos, somos a miscigenação de belezas!
    Sim, quanto a Leandra Leal, ainnn, eu sou tão apaixonada por ela, que cacheada, alisada, careca, ela sempre vai ficar BELA! Mas é claro que esses cachinhos de anjinho cairam como uma luva.
    Muito legal seu texto, baby!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Amiga!! que bom que gostou..publicou..fico mui grata e feliz por vc grande beijo na familia.

    ResponderExcluir
  9. Taí Araújo como Helena me deixava babando no cabelo dela...Só pra você ver como a vida é irônica Ellen, eu quando "aborrecente" sonhava em ter meu cabelo cheio de cachos. Acho LINDO cabelos com volume desde que me entendo por gente. Hoje sou escrava que, com cabelo liso natural, tenho que recorrer a mousse e difusor para deixá-lo bem leonina. e, como eu sempre digo, "black power é pra quem pode, não pra quem quer", rsrs

    beijaaao

    ResponderExcluir
  10. Ai, concordo com você plenamente!! Acho que bom e ruim deviam ser substituídos por bem tratado e mal tratado...isso chegaria bem mais perto da realidade.
    Até porque, não se pode mudar a estrutura de nenhum cabelo(não que eu saiba): crespo é e sempre será crespo; liso é e sempre será liso. O máximo que pode acontecer é o crespo bem cuidado ganhar vida, sedosidade, brilho etc e o liso, mal cuidado, perder vida, ficar sem brilho, quebradiço etc...
    O meu é crespo e hoje, convivo com ele tranquilamente...sei o que ele gosta e precisa...rsrsrsrs

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu texto.... eu sempre tive meus cabelos lisos e sempre sonhei em ter lindas madeixas cacheadas.... acho que nós mulheres nunca estamos satisfeitas....rsrsrsrs... mas, é isso aí, temos que assumir nossa Brasilidade, nossa miscigenação...

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. cabelo ruim é aquele cabelo muito crespo carapinha, sem vida , sem brilho que cresce para cima ninguem merece esse cabelo, agora ja vi muita gente falando assim ela tem cabelo cacheado fino bom,diferente do crespo que osso para cuidar

    ResponderExcluir
  13. já usei química e me arrependi, não porque meu cabelo ficou horrível, pois não ficou, mas sim porque foi aí que percebi que cabelos cacheados, na minha opinião, são mais bonitos, têm mais graça. resolvi parar com a química, hoje só pinto e trato com muito carinho dos meus cachos. estou muito satisfeita.

    ResponderExcluir
  14. Ótimo texto e realidade pura!
    Na adolescência também fui escrava do secador e chapinha por não gostar do meu cabelo ondulado e volumoso.
    Graças a Deus isso passou e hoje estou muito bem obrigada com minhas ondas!
    Temos que aprender a valorizar o que temos de melhor, nossas raízes!
    Beijossss!

    ResponderExcluir
  15. adorei seu blog.
    acessa o meu: http://adna-lima.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Ameeeeeeeei o bloog *-*

    ResponderExcluir